A exchange sul-coreana Bithumb, a sexta maior do mundo em volume de negócios, com movimentação diária de mais de US$ 300 milhões, foi hackeada na noite desta terça feira.

No Twitter oficial da empresa, poucos minutos após notificar que iria suspender os depósitos alegando crescentes problemas de segurança e mudanças no sistema de carteira, ela voltou a realizar outro tweet alertando os usuários que todos os depósitos e saques estavam suspensos pois haviam sido roubados em US$ 30 milhões.

A fim de tranquilizar os clientes, contudo, a Bithumb afirmou que todos os fundos roubados serão cobertos pela empresa, sem maiores prejuízos aos clientes.

Apesar de ter sido um roubo em grande quantidade, felizmente a empresa sul-coreana é grande o suficiente para cobrir os prejuízos causados aos usuários.

A Bithumb negocia 37 pares de criptoativos e até o momento não tem nenhuma informação oficial sobre qual ou quais criptomoedas foram roubadas.

Medidas de segurança

Ainda no twitter, Charlie Lee, criador da criptomoeda Litecoin, alertou seus seguidores sobre guardar suas criptomoedas em exchanges.

”Como eu já disse muitas vezes, seja esperto e só mantenha em exchanges as moedas que você está negociando ativamente. É melhor sacar logo após a negociação.”, disse Lee.

 

Reação do mercado

Após esboçar uma pequena reação durante o dia e voltar a se aproximar dos US$ 7.000, o bitcoin caiu US$ 200 e voltou aos US$ 6.500 logo após a notícia.

No Brasil, de acordo com o IPB, a cotação do Bitcoin opera em queda de 0,99%, sendo negociado a R$ 25.747 às 23h, horário de Brasília.

Bithumb já foi hackeada em 2017

No meio do ano passado a bolsa de criptomoedas já havia sofrido um roubo de dados. Felizmente, não envolveu dinheiro.

Os dados pessoais de cerca de 30.000 clientes foram comprometidos, embora os dados roubados não contivessem nenhuma de suas senhas.

A Bithumb, na época, disse que percebeu na semana anterior que um dos computadores pessoais de seus funcionários havia sido hackeado.

Outra exchange sul-coreana foi hackeada semana passada

O Portal do Bitcoin noticiou na semana passada que a Coinrail, uma exchange sul-coreana, foi hackeada, totalizando um roubo de mais de US$ 40 milhões em altcoins e tokens de ICOs.

De acordo com um endereço de carteira identificado como pertencente ao suposto invasor, os hackers conseguiram US$ 19,5 milhões em tokens NPXS, que foram emitidos pelo ICO Pundi X.

Além disso, eles conseguiram mais US$ 13,8 milhões de Aston X, um projeto de ICO construindo uma plataforma para descentralizar documentos, US$ 5,8 milhões em tokens Dent, ICO focado em dados móveis e mais de US$ 1,1 milhão em Tron, um criptoativo com mais de US$ 3 bilhões de valor de mercado. Além disso tudo, também obtiveram volumes menores de outros cinco tokens.